UTI Parte IV – Rumo a alta!!!

É gente…

E depois de 17 dias do Pedro na UTI, todo aquele perrengue, ele já ficava acordado o suficiente (ainda sonolento por conta da medicação para a convulsão), estava mamando no peito e tomando na mamadeira também (além do peito, eram 125ml na mamadeira)… estava já acostumada a aquela rotina da UTI.
Um belo dia, uma das enfermeiras fofas pediu para que eu levasse um macacão RN e um macacão tamanho P, para ver qual serviria nele, pois logo ele sairia da incubadora para o bercinho e ficaria vestido.

Sabe que, isso para muitas ali causou muitas expectativas, ir para o bercinho significava muito!! Cada dia era uma na salinha das mães, feliz e saltitante porque o filho estava finalmente saindo da incubadora.
Eu fiquei tranquila, não tinha me ligado que além de sair da incubadora, isso significaria ele ser promovido, ele iria para uma outra ala na UTI, já não era considerado caso gravíssimo.

E foi no 17º dia, que cheguei lá para ver meu filho e vi uma movimentação…
Pedro já estava de roupa, tinha uma colega ali que também estava feliz da vida e ela mesmo veio me falar: -Nós vamos sair daqui!!!

Pedro estava sendo promovido para a ala 8, era a unidade semi-intensiva! A última ala!!!
Foi tudo muito rápido, eu nem sabia que ele mudaria de ala, ao mesmo tempo em que eu fiquei feliz, eu fiquei chateada…
Afinal de contas, eram 17 dias tendo contato com as mesmas enfermeiras, criamos laços, eu via que elas também tinham um carinho especial pelo Pedro.
Os pediatras também seriam outros que o acompanhariam dali em diante.
Fiquei chateada, acreditam?
Pra ser sincera, fiquei até meio perdida!!! Eles que me acompanharam nos momentos mais difíceis, como assim eu ia sair de lá e continuar lá, sem essas pessoas que eu tanto me apeguei???
Retardada master eu né?? kkkkkkkkkkk, mas foi isso que eu senti.

E lá fomos, para a ala 8…
Pedro devidamente vestido, enrolado no cobertor…

 

 

 

SONY DSC

Também comecei a ficar preocupada, pois ele estava dormindo demais, mais que o normal e logo pensei: -Ai meu Deus, vai voltar pra ala 1? Vão ter que testar os medicamentos de novo???
E a enfermeira me tranquilizou, disse que era normal, pois agora ele estava com roupa, quentinho, enrolado na coberta, então iria dormir mais mesmo.
HAHAHAHAHAHAHAHA, que susto!!!

Foi nesse dia, que eu cheguei para amamentá-lo e ele já estava aos berros.
Amamentava a cada 3 horas, mas a enfermeira me disse que com 2 horas, 2 horas e meia ele já estava chorando de fome.
Foi quando, com muito cuidado, ela me perguntou: -E se der uma chupeta?
Eu: -E vocês dão chupeta?? Eu sempre ouvi dizer que no hospital vocês não dão nem mamadeira e nem chupeta!
Na UTI tudo muda… as enfermeiras se viram nos 30.
Daí ela me disse: -Ah, tem casos que a pediatra libera.
Eu: -Ahhhhhhhh, por mim pode dar heim! Não precisa ficar preocupada se eu vou ficar brava não, pois lá em casa já tem uma chupeta pra ele!
HAHAHAHAHAHAHAHA, rapidinho apareceu uma chupeta devidamente esterilizada e as enfermeiras poderiam ficar mais tranquilas.

SONY DSC

Foi lá que eu vi o Pedro tomando banho pela primeira vez.
Ele já estava com 19 dias de vida quando eu assisti o seu banho.
Pensa num moleque bravo (1 ano e quase 9 meses se passaram e nada mudou), chorou aos montes.
Olhando a enfermeira dando banho, parece tão simples né???

Foi ali na ala 8 também que um dia eu cheguei e tinha um pedaço de gaze com esparadrapo colado no berço.
O que seria aquilo???
A enfermeira: -Caiu o (não lembro o nome que ela me disse) e eu coloquei no esparadrapo caso você queira guardar.
Eu: -O que é isso???
Enfermeira: -O umbigo!!
Eu, mãe muito sensível: -Ahhh, pode jogar fora!! Vou fazer o que com isso???
kkkkkkkkkk gente, joguei no lixo, tanta coisa pra guardar, não ia guardar um pedaço do umbigo!!!

Foi nesse dia também que o médico havia me avisou que na manhã seguinte ele faria uma ressonância magnética.
Pelo que eu entendi, é um procedimento padrão antes da alta, para certificar que tudo está OK com o bebê.
Pedro estava em jejum, feliz da vida (chorando horrores de fome e a gente enganando ele com a chupeta), a ambulância estava marcada para chegar ás 09:30 ou 10:00, nem lembro, e nada da ambulância chegar (o exame seria feito no laboratório no Santa Joana)
Daí o Dr Allan, perto das 11:00 veio me dizer que haviam mandado uma ambulância errada, ele pediu ambulância de UTI e mandaram uma comum, mas que ele estava correndo atrás de outra LOGO para não perder o jejum do Pedro.
Ele se esforçou, mas não deu, pois no laboratório não tinha mais horário para o Pedro fazer o exame.
Ahhhhhhhhhh!!! Então vamos lá dar o tetê pro gordo que estava aos berros, coitado.
As colegas de UTI ficaram revoltadas, perguntando se eu não ia fazer nada!!! Que elas fariam um barraco daqueles.
Mas gente… o que eu poderia fazer? Eu vi o próprio médico correndo atrás de uma outra ambulância, mas não tinha mais horário no laboratório, fazer o que? Acontece né?
Isso só esticou a nossa permanência lá na UTI.
Essa foto foi tirada depois que ele mamou, tava peladinho enrolado na manta, pronto pra ir fazer o exame!!!

E chegou o grande dia da ressonância magnética.
3 dias depois…
Pela primeira vez, tanto o Pedro quanto eu, fomos dar um rolê de ambulância!!!
Ele foi sedado e ficou lá na salinha gelada fazendo o exame.
Eu e Dr Allan sentados do lado de fora, aguardando o término do exame.

Ele virou pra mim e falou: -Depois que sair o resultado do exame, vocês podem ir embora, não tem mais o que esse “chatão” fazer na UTI!
Ahhhhhhhhhh Dr!!! “Cejura”???

Acabou o exame, ele já havia acordado da anestesia e chorando horrores de fome.
Na hora de colocá-lo na incubadora, adivinha??? A chupeta caiu no chão. A ÚNICA chupeta!
Dr virou e falou: -Agora ficou bom… vamos embora!

Gente, ele foi se esgoelando do Santa Joana até o Pro Matre!!!
Quem foi com ele atrás na ambulância foi o Dr Allan, eu fui na frente com a enfermeira, ouvindo os berros dele o caminho todo.
Assim que chegamos, que alívio.
O resultado??? No dia seguinte sairia. Uebaaaaaa!!
Estávamos muito perto de sair daquele hospital!

 

Deixe um comentário