UTI Parte III – Pegando o Pedro no colo pela primeira vez e amamentando

Hello pessoas!!!
Desculpem o sumiço, tô aqui correndo atrás da nova “roupa” do Blog, algo mais personalizado, mais a minha cara…

Vamos lá… continuando a minha novela, a saga na UTI.

Passado exatamente uma semana pós alta, depois de todo aquele sofrimento, fiquei nova em folha.
Mas vou falar, o que eu passei eu não desejo pra ninguém!!! Por isso, se alguém quer fazer muito o parto normal, nem vem pedir a minha opinião.
Daí algumas dizem: Se fosse cesária seria muito pior!
Quem me garante???
Enfim… Cada um com a sua escolha, preferência.
Ninguém vai ser mais mãe ou menos mãe, pelo tipo de parto que teve o seu filho.
Eu nem escolha tive!!!

Passados 9 dias na UTI, ele não respirava mais com a ajuda do aparelho.
Conseguia respirar sozinho!!!
Pela primeira vez ouvimos o seu choro!
Sim, quando ele nasceu eu perguntava a toda hora: Porque ele não chora? Ele não vai chorar???
E daí foi todo aquele procedimento, somente no nono dia de vida conseguimos ouvir o seu choro.
Foi um alívio imenso.
Obs: O bigodinho dele consta dia 18, mas esse era o dia em que o bigodinho tinha sido colocado…. já era dia 20.

Depois da alegria de ouvir o seu choro, a enfermeira me presenteou me permitindo que eu pegasse ele no colo pela primeira vez!!!
A pergunta: -Quer pegá-lo colo??
Porraaaaaaaaaa!!! Quer me matar do coração?

Papai e Pedro se conhecendo melhor
Papai e Pedro se conhecendo melhor

E então foi no 13° dia, o Ednaldo escapou do serviço e foi visitar o Pedro no horário da manhã para enfim poder pegá-lo no colo!
Pois desde então, ele não tinha conseguido pegar o Pedro, quando ele chegava o Pedro estava dormindo ou estava rolando algum procedimento.

 

 

Me lembro até hoje, no dia em que o Ednaldo ia pagar o Pedro no colo pela primeira vez, a enfermeira me viu com a câmera e disse: -Vou tirar a sonda e o bigodinho (esparadrapo) pra vocês tirarem a foto, pois já vai ser o dia de trocar mesmo!
E essa era a primeira vez que víamos o rostinho dele por completo, sem sonda, sem tubo, sem esparadrapo….

Gente, essas enfermeiras da Pro Matre são de uma delicadeza, uma dedicação…
Achei muito fofa essa atitude por parte dela! É muito amor envolvido.

No dia seguinte, Pedro tomando seu leite via sonda a todo vapor, quando cheguei para a visita, a enfermeira estava falando com a Pediatra, para ver se dava uma parte do leite na sonda e outra parte no copinho, já para começar a tirar a sonda.
E não é que o Pedro não quis ninguém resolvendo a vida dele e nessa hora, ele mesmo arrancou a sonda?
A Pediatra olhou, riu e falou: -Dá tudo no copinho!!
E tomou tudinho o leite direto no copinho!!! Outro alívio, a sonda para alimentação não seria mais necessária!
Até o sexto dia de vida, eram 20ml de leite na sonda que ele estava tomando, os dias foram passando, foram aumentando a dosagem e no 13° dia de vida, ele tomou 70ml no copinho.

Os dias iam passando, eram só notícias boas, exames feitos diariamente, ainda tinha indícios de convulsão.
Esqueci de mencionar, além de tudo o que aconteceu ele ainda teve convulsão logo que nasceu e aí eram mais medicamentos para cuidar disso.
Mas a cada dia que passava era uma notícia boa, a fisionomia dos médicos e das enfermeiras já tinha mudado da água pro vinho!

E no dia seguinte que ele começou a tomar leite no copinho, o Pediatra virou pra enfermeira e falou: -Deixa a mãe amamentar.
Eu??? Ai que medooooooooo!!!
Geeeeeeeente que sensação mais estranha…
Ele pegou meu peito esquerdo direitinho, mamou muito bem.
As enfermeiras me rodeavam, olhavam  uma para a outra e diziam: -Está mamando!!
Eu vi que elas vibravam, mas até então achei que elas só quisessem me agradar, me deixar feliz sabe, sei lá.
Quando cheguei na casa da minha cunhada a noite, ela me fez mil vezes a mesma pergunta: -Mas ele pegou o seu seio direitinho? Mamou? Tava sugando? Saiu leite?

Mas depois eu fui entender o porque da vibração das enfermeiras e das 1000 perguntas repetidas da minha cunhada.
Geralmente os bebês que sofrem de Hipóxia, não tem força para mamar!!!
Não mamam no peito, mas minha cunhada por exemplo não queria me falar isso, pois não me ajudaria em nada! kkkkkkkkkk
Aliás, o Pedro quando nasceu, o APGAR dele no primeiro minuto de vida foi nota 2 e aos 5 minutos, era nota 4.

O que seria o APGAR? (Clique em APGAR e leia a explicação completa do Wikipedia)
“A Escala ou Índice de Apgar é um teste desenvolvido pela Dra. Virginia Apgar (1909 – 1974), médica norte-americana, que consiste na avaliação de 5 sinais objetivos do recém-nascido no primeiro, no quinto e no décimo minuto após o nascimento, atribuindo-se a cada um dos sinais uma pontuação de 0 a 2, sendo utilizado para avaliar as condições dos recém-nascidos. Os sinais avaliados são: freqüência cardíaca, respiração, tónus muscular, irritabilidade reflexa e cor da pele. O somatório da pontuação (no mínimo zero e no máximo dez) resultará no Índice de Apgar e o recém-nascido será classificado como sem asfixia (Apgar 8 a 10), com asfixia leve (Apgar 5 a 7),com asfixia moderada (Apgar 3 a 4) e com asfixia grave: Apgar 0 a 2.”

Mais uma para comemorarmos!!!
Até então tava tudo indo muito bem!

A amamentação???
Sinceramente, aquela coisa que a mãe vê borboletas em volta enquanto amamenta, tudo lindo e maravilhoso como aparece na revista, não existe viu.
No começo estávamos nos conhecendo, era uma sensação estranha, o peito doía, a gente fica sem posição, os braços começam a doer, daí as enfermeiras vinham com travesseiros para que nos aconchegássemos melhor e tivéssemos um pouco mais de conforto.
Eu achava que, o fato de eu tirar o leite lá no lactário e o bico do meu peito não ter rachado, não ia rachar mais.
Daí a mocoronga aqui parou de passar a pomada milagrosa (Lansinoh).
Pensa num bico ardido que ficou depois que o Pedro começou a mamar….
Não chegou a sangrar, como vi acontecer com muitas, mas ardia, daí comprei o bendito dos copinhos pra por no sutiã, pois o sutiã grudava no peito e era outra dor pra desgrudar.
kkkkkkkkkkk, a primeira vez que eu fui sair de casa com o copinho nos peitos, o Ednaldo olhou pra mim e falou: -Você vai sair desse jeito???
Eu: -Claro!!!
Era ridículo, mas eu só ia para o hospital, era só mais uma naquela situação, nessas horas a gente nem liga se tá feio, muito feio ou horroroso!!!

E é isso gente, conforme os dias foram passando, para a nossa surpresa e também surpresa dos médicos, Pedro só estava evoluindo o seu quadro gravíssimo em que ele se encontrava.
Estava tudo correndo bem, eu sempre estive confiante (não estou falando isso só porque agora está tudo bem viu?), e eu vi que o caminho era esse mesmo!!
Otimismo sempre! Enxergar o lado bom da situação sempre! E estava dando certo!

O próximo post será quando ele saiu da ala 1 da UTI e foi para a semi intensiva!!! Foi promovido direto para a ala 8, a últimaaaa!!!