Filhos, ter ou não ter?

Muito se fala que TODO casal TEM que ter filhos…
Discordo.

Eu, por 10 anos adiei a maternidade.
Simplesmente não queria!
Cobranças? Infinitas!
Se não enchia o saco? Pooorra!!!
As pessoas não aceitam e não respeitam simplesmente o fato de você não querer assumir a maternidade.

O que eu sempre falava era: Se acontecer, OK, mas enquanto eu puder evitar, vou evitar.
Esses dias, minha sogra falou: -Um casal sem filhos não tem graça nenhuma né? Deve ser muito chato!
AHAHAHAHAHA, eu e meus cunhados fomos categóricos e respondemos os três ao mesmo tempo em alto e bom som: -Ahhhhh. tem graça sim! E não é chato não!

Eu, não imagino mais a minha vida sem o Pedro. Isso é fato.
Mas nesses dois anos e 4 meses, aprendi muita coisa, na marra.

Sempre adiei a maternidade, porque só ouvia coisas do tipo: -Ahhhhh, quando você tiver filhos, você vai ver, você não faz mais nada da vida!
-Ahhhhh, depois que vierem os filhos, acabou pra vocês…
Mas ninguém dizia exatamente o que acabava!
-Ahhhh, nunca mais você vai dormir… (isso é verdade kkkkk)

Então assim, nesses 10 anos de casada, aproveitei, viajei, curti balada, curti muito meus amigos, fui em shows, parques, viajei sozinha sem o marido junto com a prima, dormia até 3 horas da tarde, comia qualquer porcaria com preguiça de fazer coida, essas coisas aí que podemos fazer sem se preocupar com alguém que dependa de mim.
Aproveitei bastante MESMO!
Quando eu engravidei, eu já tava tanto pensando no pior para tudo, que no fim das contas, foi bom o terrorismo que me fizeram.
Aconteceu do Pedro ficar na UTI e lá, eu já pensava diferente.
Pensava que se o Pedro fosse ter sequelas, que por algum motivo eu teria que passar por isso.
Passei por essa prova, Pedro não teve uma sequela e então, fiquei esperando o pior de tudo.
A minha vida parada por causa daquele serzinho e eu não curtindo mais nada.

Olha, a verdade é que maternidade não é brincadeira.
Não dá pra voltar atrás e agir como se fosse quando eu não tinha o Pedro.
Não deixei de fazer nada por causa dele.
Claro, os programas mudaram.
Os jantares com amigos não são mais tranquilos, não consigo levar uma conversa do início ao fim com tranquilidade como antes.
Não como mais aquela comida quentinha.
Principalmente: Eu e o Ednaldo não jantamos mais juntos kkkkkkkkkkkkkk
Viajar? Super possível! Dá pra viajar sim gente…
Só não dá mais pra ir naquela pousadinha baratinha que você se vira com seu marido se o chuveiro estiver gelado, se chegar no hotel e ser uma coisa tão horrorosa e você ter que sair correndo pra procurar outro lugar pra ficar (sim, já aconteceu comigo).
Precisa ser um lugar com um pouco mais de estrutura.
Talvez as companhias mudem um pouco, você passa a sair mais e até mesmo viajar, com quem tenha filhos.
Não é porque você deixou de gostar daquela galera que não tem filhos, mas (pelo menos no meu caso), é porque tenho plena consciencia que o ritmo é outro.
Eles não tem culpa e não precisam entender, que eu demore mais pra ir almoçar porque o Pedro está dormindo, ou que eu não fique mais aquele tempão batendo papo porque ele quer brincar ou até mesmo dormir…
Dormir??? AHAHAHAHAHAHA, não sei mais o que é isso, não tenho mais horário padrão para dormir, durmo quando dá!
E mesmo assim, quem diria, mas eu estou amando ser mãe.
Maternidade é doação, abrir mão de muita coisa e nem todo mundo está disposto ou preparado para isso.
É super normal, somos todos diferentes com necessidades diferentes, prioridades diferentes.

Acho que não querer ter filhos, é um direito sim que o casal tem.
É um SACO ter que ficar dando satisfações do porque você não quer filhos ou porque não teve até agora.
Sabe aquela coisa que todo mundo adora postar: O que não falar para uma mãe que não trabalha fora, o que não falar para uma mãe que amamenta, o que não falar…
Então.
Não questionem nunca os motivos do casal ainda não ter filhos.
Acontece muito também do casal ter dificuldades para engravidar, e aí, tem coisa mais incômoda de ter que ficar explicando isso também?
Saiba que você além de curioso, está sendo desagradável e inconveniente.
Esse é um outro ponto extremamente delicado, mas as pessoas não querem saber.
Gostam de cobrar, gostam de falar e palpitar, mas ajudar de fato que é bom, nada!
Não querer ter filhos, não é pecado, não é errado.
Errado é essa encheção de saco.

Hoje, as informações correm rápido demais, a competitividade lá fora é muito grande em tudo.
Já falei sobre isso, mas a mulher se sobrecarrega de uma tal forma, sem perceber.
Tem que ter excelência no trabalho, ser excelente mãe, excelente dona de casa, excelente esposa…
E ela, fica onde? São muitas questões envolvidas e nenhuma delas é da conta dessas pessoas. Certo?

Pessoas que não querem ter filhos ou não tem por 343803804 motivos.
É um direito de vocês e vocês não precisam ficar dando satisfações o tempo todo pra todo mundo.
Uma vez eu explodi e respondi: -Vou ter esse filho que você tanto quer e você cria e sustenta pra mim, tá bom?
Fui chamada de mal criada, mas depois disso, kkkkkkkkkkkkkk, nunca mais me perguntou.
Então assim, se for preciso uma resposta mais ríspida, responda! Pessoas chatas e sem semancol muitas vezes precisam de uma grosseria para parar de cobrar uma coisa, que nem é da conta dela!

Despedindo de 2015

E lá se foi mais um ano…
O que foi esse 2015?
Difícil dizer…

Ouço muitas, mas muitas pessoas MESMO, que foi um ano horroroso, o pior ano de todos, que não gosta nem de mencionar o ano…
Enfim.
Sim, para mim foi um ano péssimo!!!
Difícil até citar tudo o que se passou.
Perdas, decepções, dificuldades…
Mas como eu sempre digo, tirando a perda dos entes queridos, o resto a gente procura ver o lado bom das coisas e leva como aprendizado!

Toda essa parte ruim da coisa, me fez rever conceitos e valores, me fez sair da zona de conforto e procurar alternativas para a solução de vários pontos que estavam mau resolvidos, pendentes ou que eu sempre ia empurrando com a barriga, me fez tomar decisões drásticas, porém importantes e tudo isso resultou em mudanças.
Mudanças são sempre bem vindas!

Embora muitos me julgassem pelas minhas decisões, poucos realmente ajudaram!!!
Dar palpites todos dão, mas ajudar mesmo, posso contar nos dedos de uma mão só de onde vieram.
Como eu disse, as dificuldades que enfrentei esse ano por “N” motivos, me fizeram rever valores e repensar em muita coisa.
Compreendi que para seguir em frente, ás vezes é necessário dar um, dois, três passos pra trás, para pegarmos impulso  e as coisas fluírem.

E assim as coisas foram acontecendo…
Parece que quando uma coisa desenrosca, tudo começa a fluir.

Porém, do dia 27 pra cá, algumas coisas boas aconteceram, quando
eu achava que já tinha dado, não tinha mais o que acontecer, ainda aconteceu.
Recomeço, surpresas, alegrias e superação!

Aos 45 minutos do segundo tempo fui surpreendida!

Contando, ninguém acredita!! Ahahahahahah quem sabe não é assunto para um post em um dia qualquer?

Sim, tudo que tenho passado ultimamente, daria uma boa novela! 😂😂😂

Ainda tem hoje né? 2015 não acabou, acho que ainda dá tempo de eu jogar na mega-sena. Quem sabe? AHAHAHAHAHA
Sinal que não precisamos esperar por 2016 para coisas boas acontecerem.

É isso gente.
Eu não acredito que seja necessário virar o ano para começarmos a realizar nossos sonhos e desejos.
Toda hora é hora, mas 2015 tá de parabéns!!! Ave maria!
Então, já que agora no finalzinho as coisas começaram a fluir e coisas boas começaram a chegar, desejo que continue nesse ritmo em 2016.

Eu cometi muitos erros este ano, chorando por quem não dev1ia, rindo com falsas amizades.
Sim, eu disse “Nunca mais” e voltei a cometer os mesmos erros.
Perdoei demasiado e me calei quando deveria ter falado.
Abracei pessoas que nem sequer mereciam a minha atenção.
Muitas coisas mudaram, mas mesmo assim, guardo em mim tudo de bom que aconteceu.
Apesar de tudo, não posso me queixar, pois temos algo de mais precioso, que é a saúde!! Tendo saúde, corremos atrás de tudo o que almejamos!
Estou virando a página 2015 e indo para 2016 muito melhor.

A dificuldade em ser mulher nos dias atuais.

Nos ultimos dias tenho conversado bastante com minhas amigas, sobre a dificuldade em ser mulher nos dias de hoje.
Infeliz a mulher que resolveu ir lá e queimar o sutiã.
Pra que, meu Deus???

Claro, com isso a mulher conseguiu muita coisa boa, independência, espaço no mercado de trabalho….
Ao mesmo tempo, acabou virando obrigação da mulher, acumular funções.
Ela é cobrada pela sociedade, familiares, para ter excelência profisisonalmente, como esposa, como mãe e como dona de casa.
Andar sempre impecável, cabelos escovados, unhas feitas…
Muitas vezes tendo que fazer o papel de mulher e homem da casa (mesmo tendo um marido dentro de casa).

Daí que aquela mulher, que tem a vida profissional bem sucedida, resolve engravidar, vive os 4 meses da licença maternidade cheia de medos, cobranças, pitacos alheios, e tenho que pensar como será essa separação com o seu filho.
Tem que voltar ao trabalho como se nada tivesse acontecido, os peitos cheio de leite e tendo que ir ao banheiro esvaziar com um tira leite (sim, isso é verídico, minha amiga fazia isso), olha, não é fácil.

Chega em casa depois de um dia duro de trabalho, tem que lidar com os afazeres domésticos, os cuidados com o filho, com o marido…
Isso quando não está de TPM
A mulher cuida da casa, do filho, do seu trabalho, do marido…
E quando ela cai de cama? Como faz?
Ops!!! Mulher pode ficar doente? Ficar de cama é luxo!!!

Tenho visto muitas mulheres caírem em depressão, mulheres se desdobrando para fazer tudo com excelência que esquecem delas mesmo e acabam ficando doentes, em um nível de stress absurdo, daí precisam se cuidar depois com medicamentos fortíssimos e zero apoio.

Mas não as culpo, pois a grande maioria faz tudo isso sem perceber, não tem idéia de que estão sobrecarregadas.
Aí então que o corpo não aguenta e as doenças aparecem.

Hoje em dia, a mulher não tem apoio quando abre mão da vida profissional para cuidar da vida pessoal.
A mulher não tem apoio quando deixa seu filho aos cuidados de pessoas que nem conhece, ou conhece, para voltar ao mercado de trabalho.
A mulher morre de medo quando engravida e não sabe como dizer ao chefe, pois tem medo de ser substituída e posteriormente perder o emprego.
A mulher precisa o tempo todo, aguentar o tranco de tudo, não pode nunca fazer escolhas, pois se faz alguma, é julgada o tempo todo.
Pior de tudo, as mulheres são o tempo todo julgadas, por outras mulheres!
Ahhhhhhhhh, sim, também já julguei muito e não vou ser hipócrita em dizer que não julgo mais.
Talvez não seja julgar, mas comentar sobre uma situação ou outra, que eu faria desse jeito ou outro jeito.

Mulheres…
Permitam-se ficar cansadas, peçam ajuda, permitam-se não fazer nada um dia e ficar de pernas pro ar, não busquem a perfeição em tudo, pois isso humanamente é impossível de acontecer.
Lembrem-se que por trás dessa super mulher maravilha, existe a mulher que ficou esquecida, que abriu mão de si mesmo para cuidar dos outros, o tempo está passando e não tem como voltar atrás.
Ame-se, cuide-se…

Eu fiz minhas escolhas, não me arrependo e faria tudo de novo.
Tenho muita coisa para melhorar e fazer POR MIM, mas um dia de cada vez e eu estou feliz assim!

Sou muito julgada eu sei…
Esse ano de 2015 foi um ano ruim pra caralho, mas aprendi muito.
Mudei muito a forma de enxergar a vida, com tantas pauladas, perdas de pessoas queridíssimas, passei a enxergar melhor o que eu quero pra mim e QUEM eu quero ao meu lado.

Passei e ainda estou passando por situações que muitas pessoas chegam em mim e perguntam: -Como você consegue lidar com isso? Eu no seu lugar estaria desesperada e não saberia o que fazer.
Simples: -Se no meu lugar você não sabe o que faria, não venha dar pitacos em como eu tenho conduzido tudo! FIM!

 

Até onde família é tudo?

Oi gente!!!
Tem mais de uma semana que eu não posto nada!
Eu comecei a escrever sobre os 24 longos dias na UTI com o Pedro, quando ele nasceu, tem muita coisa pra escrever, mas parei…
Hoje fiquei pensando em tudo o que tem acontecido na minha família e nas famílias que me cercam.

Vejo tanta gente postando nas Redes Sociais: Família é tudo

E eu me pergunto: O que seria esse tudo?
Vale lembrar que a grande maioria que eu vejo postando isso, são as mesmas pessoas que me contaram histórias absurdas da própria família de brigas e desentendimentos.

Quando eu costumo dizer que laços sanguíneos não dizem nada, muita gente se ofende.
Mas é que essa hipocrisia, da necessidade de mostrar ao mundo uma perfeição e felicidade que não existe, sinceramente, me irrita! Não gosto!
Uma união, amor e felicidade fake! Que existe somente nas Redes Sociais, ou em rodas de conversa, apenas para ser o “perfeitinho”.

Há umas duas semanas mesmo, vieram me dizer que o Pedro PRECISA de um irmão, que ele PRECISA de alguém para contar.
E precisa ser um irmão???
Quando eu respondi que ele tem os primos, ouvi: -Ahhhhhhhhh, mas primo não é a mesma coisa!!

famc3adliaVerdade, eu tenho uma única irmã que sofre de deficiência de caráter e que na realidade era melhor que eu não tivesse! (Julguem-me, mas é isso mesmo).
Entre outros exemplos de pessoas próximas que tem várias histórias parecidas de irmãos para contar.

Ou seja, primos pra mim são melhores.
Pois quando temos afinidade, viram nossos amigos e irmãos!
Não vou citar nomes para não causar ciumeira… rs

Meus pais, 1 ano e 8 meses se passaram e eles ainda não conhecem  o Pedro.
Porque? Por comprarem uma briga da minha irmã com a minha prima, e no fim das contas, na cabeça deles, a culpa é minha.
Se eu não fico triste? Fico chateada, mas eu garanto que eles tem mais a perder do que eu.
Só lamento por eles, o Pedro está crescendo e ele nem sabe da existência deles.
Já eles, sabem que tem um neto e não tem contato.
Sou bem resolvida nessa questão e não tenho nem vergonha e nem problema nenhum em falar sobre isso.

E aí, agora me deparo com a minha avó debilitada, aos 94 anos, internada, fraca por não comer…
E os filhos, nem aí para fazer companhia a ela no hospital. Optaram por contratar acompanhantes.
Isso porque é só ficar lá sentado ao lado dela, banho, comida, banheiro, tudo os enfermeiros que fazem. É só por uma questão de companhia mesmo.
Ninguém quer ficar.
Vejo meus tios, pai e tia, apenas preocupados com si mesmos.
Pra não ser injusta, vi 2 tios fazendo mesmo as coisas pela minha avó, mas percebe-se que minha avó está bem triste com os filhos e que no meu ver, ela se entregou, desistiu de viver.
Se já está essa briga que ninguém quer nada, apenas para fazer companhia no hospital, fico pensando como será caso ela saia do hospital e realmente precise dos cuidados dos filhos.

Enfim, eu sei que não é só a minha família que é assim torta.
A grande maioria são, não acredito em família perfeita, não existe.
Quanto aos desentendimentos, ás vezes os pais tem responsabilidade nisso sim, mas eu já entendi que mãe quer a todo custo que todos fiquem bem, esse todo custo envolve omissão, egocentrismo, amor, falta de amor, excesso de amor, favoritismo, mas elas querem todos “de bem”, mesmo sabendo que sempre tem um querendo ferrar com o outro.

Na hora que tem festa, todo mundo junto.
Mas agora na hora mais difícil… ninguém quer saber de nada!
Não, não tenho vergonha de falar sobre isso, não estou julgando os que não querem fazer.
Simplesmente tudo isso me faz acreditar mais e mais, que nós temos que escolher a dedo nossos amigos, pois são eles que no fim das contas, nos socorrem na hora em que realmente precisamos.

Se eu sou amarga, rancorosa, fria por conta desse meu texto?
Pode ser, chamem como quiser, mas eu apenas não quero isso pra mim, não quero essas pessoas que não me fazem bem perto de mim.
Dizem que um relacionamento é uma via de duas mãos não é mesmo?
Pois bem…

Tô longe de ser essa pessoa que acha que as pessoas são descartáveis, se não me servem eu dispenso.
Negativo, mas dispenso aquelas que me fizeram mal, já tolerei muita coisa, mas tudo tem um limite, independente se é da família, se é amigo de infância, se conheci ontem na rua.
Aquela conversinha de perdão também me deixa com preguiça…
Eu acho que devemos tratar as pessoas como elas nos tratam. PONTO!

E aí, me perguntam então: O que é família pra mim?
Pra mim, família é isso:

SONY DSC

Família são aqueles que eu escolhi para fazerem parte da minha vida.
Independente dos laços sanguineos!

Lembrem-se: Filhos não são garantias de que seremos bem cuidados por eles na velhice.
Irmãos não são garantias de que serão companhia na vida adulta!

E que venham agora os julgamentos em 3, 2, 1.