Até onde família é tudo?

Oi gente!!!
Tem mais de uma semana que eu não posto nada!
Eu comecei a escrever sobre os 24 longos dias na UTI com o Pedro, quando ele nasceu, tem muita coisa pra escrever, mas parei…
Hoje fiquei pensando em tudo o que tem acontecido na minha família e nas famílias que me cercam.

Vejo tanta gente postando nas Redes Sociais: Família é tudo

E eu me pergunto: O que seria esse tudo?
Vale lembrar que a grande maioria que eu vejo postando isso, são as mesmas pessoas que me contaram histórias absurdas da própria família de brigas e desentendimentos.

Quando eu costumo dizer que laços sanguíneos não dizem nada, muita gente se ofende.
Mas é que essa hipocrisia, da necessidade de mostrar ao mundo uma perfeição e felicidade que não existe, sinceramente, me irrita! Não gosto!
Uma união, amor e felicidade fake! Que existe somente nas Redes Sociais, ou em rodas de conversa, apenas para ser o “perfeitinho”.

Há umas duas semanas mesmo, vieram me dizer que o Pedro PRECISA de um irmão, que ele PRECISA de alguém para contar.
E precisa ser um irmão???
Quando eu respondi que ele tem os primos, ouvi: -Ahhhhhhhhh, mas primo não é a mesma coisa!!

famc3adliaVerdade, eu tenho uma única irmã que sofre de deficiência de caráter e que na realidade era melhor que eu não tivesse! (Julguem-me, mas é isso mesmo).
Entre outros exemplos de pessoas próximas que tem várias histórias parecidas de irmãos para contar.

Ou seja, primos pra mim são melhores.
Pois quando temos afinidade, viram nossos amigos e irmãos!
Não vou citar nomes para não causar ciumeira… rs

Meus pais, 1 ano e 8 meses se passaram e eles ainda não conhecem  o Pedro.
Porque? Por comprarem uma briga da minha irmã com a minha prima, e no fim das contas, na cabeça deles, a culpa é minha.
Se eu não fico triste? Fico chateada, mas eu garanto que eles tem mais a perder do que eu.
Só lamento por eles, o Pedro está crescendo e ele nem sabe da existência deles.
Já eles, sabem que tem um neto e não tem contato.
Sou bem resolvida nessa questão e não tenho nem vergonha e nem problema nenhum em falar sobre isso.

E aí, agora me deparo com a minha avó debilitada, aos 94 anos, internada, fraca por não comer…
E os filhos, nem aí para fazer companhia a ela no hospital. Optaram por contratar acompanhantes.
Isso porque é só ficar lá sentado ao lado dela, banho, comida, banheiro, tudo os enfermeiros que fazem. É só por uma questão de companhia mesmo.
Ninguém quer ficar.
Vejo meus tios, pai e tia, apenas preocupados com si mesmos.
Pra não ser injusta, vi 2 tios fazendo mesmo as coisas pela minha avó, mas percebe-se que minha avó está bem triste com os filhos e que no meu ver, ela se entregou, desistiu de viver.
Se já está essa briga que ninguém quer nada, apenas para fazer companhia no hospital, fico pensando como será caso ela saia do hospital e realmente precise dos cuidados dos filhos.

Enfim, eu sei que não é só a minha família que é assim torta.
A grande maioria são, não acredito em família perfeita, não existe.
Quanto aos desentendimentos, ás vezes os pais tem responsabilidade nisso sim, mas eu já entendi que mãe quer a todo custo que todos fiquem bem, esse todo custo envolve omissão, egocentrismo, amor, falta de amor, excesso de amor, favoritismo, mas elas querem todos “de bem”, mesmo sabendo que sempre tem um querendo ferrar com o outro.

Na hora que tem festa, todo mundo junto.
Mas agora na hora mais difícil… ninguém quer saber de nada!
Não, não tenho vergonha de falar sobre isso, não estou julgando os que não querem fazer.
Simplesmente tudo isso me faz acreditar mais e mais, que nós temos que escolher a dedo nossos amigos, pois são eles que no fim das contas, nos socorrem na hora em que realmente precisamos.

Se eu sou amarga, rancorosa, fria por conta desse meu texto?
Pode ser, chamem como quiser, mas eu apenas não quero isso pra mim, não quero essas pessoas que não me fazem bem perto de mim.
Dizem que um relacionamento é uma via de duas mãos não é mesmo?
Pois bem…

Tô longe de ser essa pessoa que acha que as pessoas são descartáveis, se não me servem eu dispenso.
Negativo, mas dispenso aquelas que me fizeram mal, já tolerei muita coisa, mas tudo tem um limite, independente se é da família, se é amigo de infância, se conheci ontem na rua.
Aquela conversinha de perdão também me deixa com preguiça…
Eu acho que devemos tratar as pessoas como elas nos tratam. PONTO!

E aí, me perguntam então: O que é família pra mim?
Pra mim, família é isso:

SONY DSC

Família são aqueles que eu escolhi para fazerem parte da minha vida.
Independente dos laços sanguineos!

Lembrem-se: Filhos não são garantias de que seremos bem cuidados por eles na velhice.
Irmãos não são garantias de que serão companhia na vida adulta!

E que venham agora os julgamentos em 3, 2, 1.

6 thoughts on “Até onde família é tudo?

  1. Cris vc escreveu uma realidade que acontece comigo… muda alguns personagens… mas minha família somos eu meu marido e meus filhos… pq os demais …. que têm laços de sangue só patifaria….

  2. Ah amei o texto, apesar de não ser um comercial de margarina, mas temos que ser felizes com quem nos quer bem. Laços de sangue é balela. Quando meu pai morreu, foi como se eu e minha irmã tivéssemos morrido para a família do meu pai. Ninguém procurou a gente para saber se precisávamos de algo. Nunca vou esquecer que na missa de sétimo dia do meu pai, o meu tio caçula passou por mim e me ignorou. Eu tinha 16 anos e ele já era casado e tinha filho. Mas perdoei e resolvi anos depois procurar a família e me aproximar, no entanto a aproximação foi só minha pq eles até hj nao ligam, não procuram e não se importam comigo. Sábado saí da minha casa na ZN para visitar esse tal tio caçula lá em Guarulhos e sabe o que eu ouvi dele: “Eu não tenho parente nenhum não” Isso pq eu e minha tia de consideração, falávamos da minha prima que teve bebê e ele pouco se importa que eu tava indo conhecer a criança e ficouro do carro buzinando pq demoramos 5 minutos, sem exagero 5 minutos. Mas ok foi bom para eu aprender e não insistir em querer me relacionar com essa família por causa da memória do meu pai. Abro mão, vou viajar, vou estudar fora e seguir a minha vida e ser feliz.

    1. Olha Fernanda
      É isso mesmo
      Laços sanguíneos não dizem nada!!!
      Sou órfã de pai e mãe vivos…
      Contando a minha história, parece piada
      Parece que eu to inventando pra me fazer de coitada sabe?
      Kkkkkkkkk mas nem ligo
      Como disse, Pedro está crescendo, eles não o conhecem e eles é quem perdem
      Paciencia

      É assim como vc, vou tocando minha vida e foram-se eles!!!

      Vc está certíssima!!!!

Deixe um comentário